Coreia do Norte lançou novo míssil que sobrevoou o território japonês

Image-0-Artigo-2296964-1

A Coreia do Norte respondeu nesta sexta-feira às últimas sanções aprovadas pela ONU com o lançamento de um míssil balístico que sobrevoou o Japão e que aumenta ainda mais a tensão na península coreana.

O novo desafio norte-coreano ocorreu depois que, na segunda-feira passada (11), o conselho aprovou novo pacote de sanções econômicas contra o regime, pelo teste nuclear do último dia 3 de setembro.

O secretário-geral da Otan, Jean Stoltenberg, pediu "uma resposta mundial" após a "violação temerária" das resoluções da ONU.

A oposição de China e Rússia, porém, levou à aprovação de medidas mais brandas, embora tenha sido imposto um embargo às exportações de têxteis norte-coreanos, uma importante fonte de receita para o país.

A chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini, chamou o disparo de "provocação escandalosa".

Segundo o comunicado, Guterres analisará o tema durante as reuniões que acontecerão na ONU na próxima semana por ocasião do debate anual de alto nível da Assembleia Geral. Já no dia 28 de julho, o regime norte-coreano testou um míssil balístico intercontinental que atingiu uma altitude de 3.700 quiilômetros, e que especialistas disseram ter o potencial de atingir a Costa Oeste dos Estados Unidos.

"Não podemos nunca tolerar que a Coreia do Norte viole a decisão forte e unida da comunidade internacional rumo à paz, demonstrada nas resoluções da ONU, e insista neste ato ultrajante", disse Abe.

Há algumas semanas, a Coreia do Norte ameaçou publicamente lançar quatro mísseis nas proximidades da ilha norte-americana. O míssil caiu no mar a cerca de 2 mil quilômetros a leste do Japão, um dia após Pyongyang ameaçar "afundar o país". De acordo com o sistema de alerta japonês, não houve feridos nem danos.

"Está passando um míssil, está passando um míssil, provavelmente sobre Hokkaido em direção ao Pacífico".

"Estas contínuas provocações apenas aprofundam o isolamento diplomático e económico da Coreia do Norte", completou o secretário de Estado norte-americano.

A 29 de agosto, o regime de Kim Jong-un tinha usado o aeroporto para disparar um míssil de médio alcance que sobrevoou o norte do Japão.

O presidente sul-coreano, Moon Jae-in, convocou uma reunião do conselho de segurança para discutir o novo lançamento, enquanto o governo japonês condenou o lançamento.

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

Notícias relacionadas: