Coreia do Norte dispara novo míssil. Japão condena provocação intolerável

Kim Jong-Un promessa de destruir os Estados Unidos.                  REUTERS  Issei Kato

A Coreia do Norte prometeu acelerar seus programas militares, em resposta às "maléficas" sanções impostas pelo Conselho de Segurança da ONU após o sexto teste nuclear do país.

O míssil voou por cerca de 20 minutos até cair no Oceano Pacífico às 7hs16, cerca de 2 mil quilômetros ao leste de Hokkaido, informou a emissora NHK, citando funcionários do governo japonês.

As autoridades japonesas foram obrigadas a acionar o sistema de emergência J-Alert em várias regiões do norte do arquipélago.

A Coreia do Norte lançou um míssil que sobrevoou o Japão antes de cair no mar depois de percorrer milhares de quilômetros, em um novo desafio de Pyongyang, condenado "energicamente" por Tóquio.

Na segunda-feira (11), o Conselho de Segurança da ONU aprovou por unanimidade o embargo progressivo do petróleo destinado à Coreia do Norte. De acordo com a TV, o lançamento ocorreu por volta das 7h dessa sexta-feira (15) - por volta das 19h desta quinta-feira (14) no horário de Brasília.

"O Comando de Defesa Aeroespacial norte-americano (Norad, na sigla em inglês) determinou que este míssil balístico não representou uma ameaça para a América do Norte", informou.

As Forças Armadas da Coreia do Sul e dos EUA ainda estão analisando as informações do lançamento e não se pronunciaram oficialmente sobre o possível alvo ou o tipo de míssil usado.

O chefe da diplomacia norte-americana dirigiu o apelo particularmente à China e à Rússia, que têm estreitos laços com a Coreia do Norte, e exortou Pequim e Moscovo a mostrar a sua "intolerância face a estes imprudentes lançamentos de mísseis e a empreender as suas próprias ações diretas" contra Pyongyang.

A União Europeia (UE) adotou nesta quinta-feira novas sanções contra setores estratégicos norte-coreanos.

Para Tillerson, as "provocações" feitas pela Coreia do Norte vão aprofundar seu o isolamento político e econômico.

Em aplicação de sanções vigentes da ONU, o bloco europeu anunciou que impôs "uma proibição total de todas as exportações de carvão, ferro, minério de ferro, produtos pesqueiros, chumbo e minério de chumbo", ou seja, contra "as principais exportações" norte-coreanas.

Notícias relacionadas: