Ameaças de bomba levam à retirada de 20 mil pessoas

Moscovo Várias ameaças de bomba levam à retirada de 20 mil pessoas

Mais de 10 mil pessoas estarão a ser retiradas de vários edifícios em Moscovo, entre eles universidades e estações de comboios, no seguimento de várias ameaças de bomba, avança a imprensa russa, citando fontes das forças de segurança.

"Parece terrorismo por telefone e nada mais, mas todas as chamadas têm de ser investigadas", continuou o responsável.

A agência noticiosa russa indica que muitos dos telefonemas terão tido origem na Ucrânia.

De acordo com a agência Efe, outras cidades receberam ligações anônimas com ameaças de bomba: Petropavlovsk-Kamchatski (Kamchatka), Irkutsk, Yakutsk, Samara, Saratov, Khabarovsk e Tomsk.

Três das principais estações ferroviárias da cidade foram alvo de buscas, bem como mais de 20 edifícios no centro da capital russa. Ao todo, 30 lugares foram evacuados, incluindo duas universidades, a Sechenov Medical University e a MGIMO International Relations University, além das estações de Leningradsky, Kazansky e Kievsky.

As chamadas anônimas começaram na segunda-feira, principalmente na parte ocidental da Rússia, e no dia seguinte se espalharam para o resto do país.

As autoridades russas não comentaram publicamente até ao momento a série de falsos alertas.

Notícias relacionadas: