Portugal teve o 2.º maior crescimento do emprego na UE

Portugal com segunda maior subida homóloga no emprego na UE

A produção industrial da zona do euro teve leve recuperação em julho após uma queda acentuada em junho, impulsionada principalmente por investimentos corporativos e bens de consumo duráveis, mostraram dados do escritório de estatística da União Europeia, Eurostat, nesta quarta-feira.

Na comparação com o segundo trimestre de 2016 e entre os 26 Estados-membros, para os quais há dados disponíveis, Malta registou a maior subida da taxa de emprego (4,7%), seguindo-se Portugal (3,6%) e Chipre (3,0%).

Em ambos os casos (comparação em cadeia e evolução homóloga), a prestação de Portugal situou-se acima das médias da Zona Euro (0,4% em cadeia e 1,6% na comparação anual) e da União Europeia (0,4% em cadeia e 1,5% em termos anuais).

Os dados foram apresentados pela agência de estatísticas Eurostat.

Em cadeia - ou seja, a variação em relação ao trimestre anterior - a subida de Portugal foi de 0,7%, um abrandamento em relação ao crescimento de 1% verificado entre o último trimestre de 2016 e os primeiros três meses de 2017.

As baixas mais marcantes registaram-se na Irlanda (-9,2%), na Dinamarca (-3,1%) e em Malta (-1,7%).

Em Portugal, a produção industrial aumentou, em termos homólogos, 5,2%.

Notícias relacionadas: