Pelo menos três mortos na Florida devido à passagem do Irma

Consequencias do furacão Irma

Todos os telejornais procuram uma melhor informação para a população, porém um repórter americano passou dos limites da segurança para conseguir repassar tais informações, durante uma gravação o repórter se posicionou no olho do furacão Irma, está total imprudência quase acabou em tragédia, o repórter foi jogado contra o solo e quase foi arrastado pelos fortes ventos de mais de 200 KM/H, na tentativa de relatar a força do furacão Irma.

As cerca de seis milhões de pessoas retiradas, um número sem precedente nos Estados Unidos, começam hoje a regressar. Os ventos e as nuvens do Irma chegaram a cobrir uma área de 181 mil quilómetros quadrados, quando, por exemplo, o estado da Florida tem 170 mil quilómetros quadrados.

As pessoas no caminho do Irma nunca passaram por uma tempestade tão forte, e o furacão pode reescrever a história das ilhas que experimentaram o golpe direto.

A Organização Mundial de Meteorologia revelou na semana passada que o Irma bateu igualmente os recordes de energia acumulada, gerando em sete dias mais energia que as oito tempestades que o antecederam na região. O Irma também desalojou 24.116 pessoas na República Dominicana.

Esta segunda-feira, o furacão aproxima-se da cidade de Tampa, no estado da Florida, na categoria 1, após ter diminuído de intensidade.

Comparação das imagens das Ilhas Virgens Britânicas e dos Estados Unidos em 25 de agosto e em 10 de setembro
Pelo menos três mortos na Florida devido à passagem do Irma

O médico anestesista Luis Barone Junior (49) e a médica otorrinolaringologista Josiane Aguiar Andrade Barone (48), com os seus dois filhos, Gabriela (18) e Luís Felipe (15), estavam em viagem aos parques temáticos de Orlando, no Estado da Florida (EUA), e voltariam neste domingo (10) ao Brasil, quando se encontraram "presos" no país em razão da passagem do Furacão Irma.

O furacão provocou inundações com 4,57 metros de altura.

Segundo a rede ABC, até agora a tempestade deixou cerca de 3,5 milhões de residentes da Flórida sem eletricidade e causou 5 mortes nos EUA.

Citado pela agência de notícias espanhola Efe, o presidente do município de Monroe, Rick Ramsay, indicou que as autoridades apenas retiraram o corpo quando viram que podiam "sair e removê-lo de forma segura", ou seja, quando os ventos acalmaram.

Notícias relacionadas: