Os terríveis recordes do Irma

Imagem do furacão Irma

As autoridades locais no sul da Flórida assinalaram que estarão vigilantes para decretar mais medidas de prevenção devido à iminência do Irma.

Estes ventos são sentidos num raio de 130 quilómetros do olho do furacão, enquanto os ventos geralmente associados a uma tempestade tropical fazem-se sentir num raio de 350 quilómetros, sublinha o mesmo centro.

Originou a maior ordem de evacuação na história dos Estados Unidos, cerca de 6 milhões e 300 mil pessoas no Estado da Florida. Descrevendo o furacão como "um grande monstro", Donald Trump elogiou as agências federais de resposta a desastres e prometeu visitar a Florida "muito em breve". Os ventos e as nuvens do Irma chegaram a cobrir uma área de 181 mil quilómetros quadrados, quando, por exemplo, o estado da Florida tem 170 mil quilómetros quadrados. Este número pode aumentar nas próximas horas.

Depois de viajar ao longo da costa, a previsão aponta que o Irma se vire mais para o interior do norte e o sudoeste da Geórgia, na tarde de segunda-feira.

As chuvas intensas e as rajadas de vento poderosas do furacão Irma deixaram Miami, no estado norte-americano da Florida, numa situação caótica, com milhares de pessoas sem eletricidade, ruas inundadas e árvores caídas.

Uma semana antes, o furacão Harvey inundou uma vasta porção de Houston, no Texas. Já foram registrados ao menos três mortes e mais de 50 mil pessoas estão em abrigos na Florida.

Nas ilhas Turcas e Caicos, um território ultramarino do Reino Unido nas Caraíbas, há suspeitas de estragos avassaladores, embora ainda não se conheça a dimensão do desastre.

Destes 12 casos mortais relacionados com o Irma, seis deveram-se a acidentes rodoviários devido ao mau tempo, quatro pessoas morreram enquanto se preparavam para a chegada do furacão, um eletrocutado e o último de um ataque de coração enquanto tentava ligar um gerador elétrico, descreve a agência noticiosa Efe.

Notícias relacionadas: