Garotinho foi preso enquanto apresentava programa de rádio

Ex-governador Anthony Garotinho é preso no Rio durante programa de rádio

SÃO PAULO - (Atualizada às 13h14) O ex-governador do Rio de Janeiro Anthony Garotinho (PR) foi preso nesta quarta-feira (13) por agentes da Polícia Federal (PF) enquanto apresentava seu programa na rádio Tupi. No momento da detenção, ele estava apresentando um programa na Rádio Tupi. Antes, ele fará exame de corpo de delito no Instituto Médico-Legal. A defesa nega as acusações contra o ex-governador e diz que ele nunca foi acusado de roubo e corrupção. Segundo o jornal O Globo, ele foi preso por comprar votos durante as eleições do município de Campos dos Goytacazes, no norte do Estado do Rio, com o uso de programa assistencial para famílias de baixa renda.

O advogado de defesa dos irmãos Batista, Pierpaolo Cruz Bottini, classificou como "injusta, absurda e lamentável" a prisão preventiva porque, segundo ele os empresários "sempre esteveram à disposição da Justiça, prestaram depoimentos e apresentaram todos os documentos requeridos". Conseguiu, depois, liminar no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para derrubar a decisão de prisão.

Garotinho foi governador do Rio de Janeiro, prefeito de Campos e deputado federal.

"Não há fundamento para decreto da prisão, valendo notar que, por suas palavras e suas manifestações, o réu poderá ser acionado na Justiça por quem se sentir ofendido, possibilitando inclusive instauração de ação penal", escreveu o juiz. Por isso, o político será conduzido a Campos dos Goytacazes, no norte do estado, onde ficará sujeito a várias medidas restritivas, como o uso de tornozeleira eletrônica. Em troca de votos em candidatos a prefeito e vereadores em 2016, a prefeitura oferecia inscrições no programa Cheque Cidadão, que dá R$ 200 por mês a cada beneficiário, de acordo com Ministério Público Estadual.

Segundo a sentença, assinada pelo juiz Ralph Manhães, da 100ª Zona Eleitoral, a prefeitura de Campos, então comandada por Rosinha - Garotinho era o secretário de Governo -, desembolsou R$ 11 milhões entre junho e agosto do ano passado num esquema paralelo do programa Cheque Cidadão.

Notícias relacionadas: