Dorival esboça mudanças no São Paulo e Rodrigo Caio de volante

Rodrigo Caio volta ao São Paulo após defender seleção brasileira

Dorival Junior, que negou qualquer problema de relacionamento dentro do elenco no último sábado, mostrou confiança no peruano e prometeu resolver este debate de maneira interna, como ocorreu nesta segunda. O motivo? O dia foi utilizado para lavar roupa suja no clube, que ocupa a 19ª colocação no Brasileirão.

"Sabemos a situação que estamos". Ele tem consciência de que precisa melhorar. Após o apito final, repórteres esperavam na Zona Mista, e o que se viu, foi Cueva irritado, não gostou do resultado da partida, e quando foi questionado por um repórter, disparou "Fala com o Rodrigo Caio", demonstrando clara irritação, pela declaração do defensor. Em entrevista nesta segunda, ele se desculpou. Ele não vive boa fase no time e ficou no banco de reservas contra a Ponte, dando lugar a Lucas Fernandes.

"Quero falar uma coisa". "O Dorival sempre procura rodar a equipe nos treinos que faz, então já trabalhei bastante com todos os zagueiros".

Rodrigo Caio e Cueva conversaram durante pouco mais de dez minutos aproximadamente, antes de a comissão técnica convocar um novo bate-papo entre todo o elenco e o diretor executivo de futebol, Vinicius Pinotti. "É com trabalho que vamos reverter nossa situação na tabela".

A titularidade de Cueva já não é algo pedido pelos torcedores, que inclusive tem manifestado sua insatisfação com o rendimento do peruano.

"A diretoria está sempre junto, dá o melhor, não deve nada, trabalhamos para um time grande, se preocupando não só com jogador, mas com a pessoa".

"Nos momentos bons no São Paulo, estávamos começando um ótimo ano, me cobravam na seleção, porque meu momento lá não era bom".

No domingo, dia seguinte ao empate frustrante com a Ponte Preta no Morumbi, a Torcida Independente ordenou, por meio de seu site oficial, que a diretoria são-paulina marcasse uma reunião, sob o risco de deixar de apoiar a equipe caso não tivesse sua exigência atendida.

"Vocês acham que não temos jogadores para sair dessa situação? Podem não achar isso importante, mas nós, jogadores, achamos", encerrou o meio-campista, que soma oito gols e seis assistências pelo clube em 2017.

Notícias relacionadas: