Sinead O'Connor diz que única coisa boa sobre a mãe é que ela está morta

Sinead O'Connor fala sobre depressão e abusos na infância: “cansei de ser definida como uma louca”

Num teaser da entrevista, Sinead O'Connor diz: "estou farta de ser definida como uma pessoa louca".

Sinéad O'Connor vai ser a convidada do primeiro programa da nova temporada de Dr. Phil, programa de televisão norte-americano conduzido pelo psicólogo Phillip McGraw, e nele recordará os abusos físicos e sexuais que sofreu por parte da mãe. "Essa pessoa já não existe", justifica.

A entrevista com o Dr. Phil vem no seguimento de um vídeo que a artista partilhou nas redes sociais no qual revelava ter pensamentos suicidas e contava alguns dos seus problemas mentais. A cantora respondeu: "o que mais amo na minha mãe é que ela está morta".

"Ela tinha uma câmara de tortura. Era uma pessoa que sentia prazer magoar-me", revelou.

Notícias relacionadas: