Senhorios podem aumentar rendas em 1,12% em 2018

EM 2018 AS RENDAS VÃO SUBIR 1,12% 12/09/2017 DESTAQUE ECONOMIA & FINANÇAS

Após vários anos a determinar congelamentos ou com subidas inferiores a 0,5%, o coeficiente de atualização das rendas prepara-se para ultrapassar o patamar de 1% no próximo ano, já que se espera que a taxa de inflação, que o Instituto Nacional de Estatística irá divulgar na terça-feira, seja daquela ordem de grandeza.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), sem habitação, dos 12 meses que terminam em agosto ficou nos 1,12%.

Esta é a maior subida nos últimos cinco anos e contrasta com os 0,54% aplicados este ano.

De acordo com o Jornal de Negócios, deverão sentir este aumento cerca de 600 mil família, embora não seja possível ainda ter certeza quanto ao impacto.

Por cada 100 euros de renda atual, os inquilinos vão ter de pagar mais 1,12 euros no próximo ano.

Desde 2013 - ano em que a subida foi de 3,36% - que os arrendamentos não sofriam um aumento tão significativo. Em 2016, o valor atingiu 0,16%.

De acordo com a lei do arrendamento, a primeira actualização pode ser exigida um ano após a vigência do contrato, e as seguintes um ano depois da actualização prévia, tendo o senhorio de comunicar por escrito, com uma antecedência mínima de 30 dias, o coeficiente de actualização e a nova renda que resulta deste cálculo. Acabou por ficar conhecida como "lei dos despejos", por liberalizar o mercado de arrendamento e permitir aumentos brutais nas rendas dos contratos mais antigos, quase sempre incomportáveis para reformados, pensionistas, trabalhadores com baixos rendimentos, pequeno comércio ou colectividades.

Caso não o pretendam, os senhorios não são, contudo, obrigados a aplicar esta atualização.

Notícias relacionadas: