Santander Cultural suspende exposição depois de protestos nas redes sociais

Santander Cultural suspende exposição depois de protestos nas redes sociais

O Santander Cultural de Porto Alegre (RS) informou, neste domingo (10), que a exposição "Queermuseu - Cartografias da Diferença na Arte Brasileira" foi cancelada.

A mostra, com curadoria Gaudêncio Fidelis, ficaria em cartaz até 8 de outubro, mas o espaço cultural cedeu às pressões de internautas.

Os protestos acusam a exposição de blasfêmia a símbolos religiosos e de, em alguns casos, pedofilia.

Nos últimos dias, recebemos diversas manifestações críticas sobre a exposição Queermuseu - Cartografias da diferença na Arte Brasileira. Pedimos sinceras desculpas a todos os que se sentiram ofendidos por alguma obra que fazia parte da mostra. "Quando a arte não é capaz de gerar inclusão e reflexão positiva, perde seu propósito maior, que é elevar a condição humana", acrescenta. Nelson Marchezan Jr. (PSDB), prefeito de Porto Alegre com apoio do MBL, também se posicionou contra a mostra.

Segundo fonte que não prefere não se identificar, o posicionamento da instituição também é motivado pela preocupação com a integridade das obras, do público e dos funcionários do Santander Cultural, uma vez que muitas reações foram exarcebadas e que agências do banco chegaram a ser pichadas por críticos da mostra. Embora o Santander Cultural não tenha um levantamento sobre quantas escolas levaram alunos para ver as obras, o próprio projeto da mostra estabelecia ações voltadas a esse fim. "Eu não fui consultado em nenhum momento sobre isso e ninguém do Santander entrou em contato comigo ainda".

Com experiência de curador de duas bienais do Mercosul, Fidelis disse jornal O Globo que nunca tinha visto algo parecido com esta decisão de encerramento da exposição.

Desta vez, no entanto, ouvimos as manifestações e entendemos que algumas das obras da exposição "Queermuseu" desrespeitavam símbolos, crenças e pessoas, o que não está em linha com a nossa visão de mundo.

Entre as imagens mais compartilhadas, está a pintura de uma pessoa praticando sexo com um animal, além de desenhos de crianças com frases como "Criança viada travesti da lambada" e "Criança viada deusa das águas". A proposta da seleção é a de ampliar a visibilidade de questões LGBT propondo a provocação estética e estimulando a revisão de obras e artistas marginalizados, com um amplo escopo de representação, que abarca das relações de poder e dominação do Brasil Colonial a ensaios fotográficos com corpos nus de jogadores de futebol. "O Santander valoriza a diversidade e investe em sua unidade de cultura no Sul do País para que ela seja contemporânea, plural e criativa".

Após o cancelamento, foi criado no Facebook um evento de apoio á exposição intitulado Ato pela liberdade de expressão artística e contra a LGBTfobia.

O Nuances - Grupo Pela Livre Expressão Sexual está organizando um protesto contra o cancelamento da mostra na próxima terça (12), no centro de Porto Alegre.

Notícias relacionadas: