CPI da JBS pode decidir nesta terça se convoca Joesley e Saud

Em dia de chegada de Joesley a Brasília, parlamentares se mobilizam em torno da CPI da JBS

Trata-se do delegado Fernando Francischini, que assume a sub-relatoria de contratos, e do deputado Hugo Leal (PSB), que assume os temas fiscal, previdenciário e agropecuário.

O presidente da CPMI é o senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO), e o vice-presidente, o senador Ronaldo Caiado (DEM-GO).

"O PMDB é o maior partido aqui no Congresso Nacional, e essa relatoria, como é costumeiro aqui dentro, ficaria com o PMDB".

No fim de semana, Ataídes de Oliveira se encontrou com Temer e com o ministro da Secretaria de Governo, Antonio Imbassay, que afirmou que o PMDB não abriria mão da nomeação de Marun como relator.

Pela regra da proporcionalidade, a relatoria seria ocupada pelo PMDB. "Estou buscando um acordo, mas não vou comprar encrenca com o maior partido do Congresso", afirmou o tucano, segundo relato do Globo.

Conforme notícia do G1 Nacional, além de investigar as supostas irregularidades junto ao BNDS, a CPI também vai debater os termos e condições dos acordos de delação dos empresários Joesley e Wesley Batista, donos da JBS, e de executivos da J&F, caso de Ricardo Saud. Ele e Joesley chegaram nesta segunda-feira a Brasília, onde ficarão presos.

Além deles, o presidente pretende ouvir o ex-procurador Marcelo Miller, que é suspeito de ter cometido crimes de organização criminosa, obstrução das investigações e exploração de prestígio, orientando os irmãos Batista. "Imagino que os 16 senadores e 16 deputados federais da comissão terão inúmeras perguntas a fazer a eles e espero que eles venham dispostos a nos responder às nossas indagações", disse Ataídes.

A intenção da CPI é conseguir o compartilhamento de dados da Operação lava-jato. Joesley fez acordo para não ser preso, em troca de entregar um áudio da conversa gravada pelo empresário com o presidente Michel Temer (PMDB), acusado de ter usado o ex-deputado federal Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) para receber vantagens indevidas do empresário.

"Temos três nomes na mesa. acredito que até às 22h de hoje um desses três nomes será escolhido", disse Ataídes a jornalistas.

Sobre o encontro com o presidente Michel Temer, no último domingo, o senador informou que o assunto não foi a CPI, mas sim a duplicação da BR 153 no Tocantins.

A comissão vai investigar empréstimos do BNDES à J&F, empresa que controla o frigorífico JBS.

Notícias relacionadas: