Citado em relatório da PF, Temer diz que "facínoras roubam a verdade"

Temer resume sua lógica:

Ao lado do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, do presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), e do ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, o presidente Michel Temer chegou no final da manhã desta terça-feira, 12, no Salão Leste do Palácio do Planalto para discursar durante abertura de reunião com sindicalistas e empresários.

Uma investigação da polícia federal brasileira concluída na última segunda-feira apontou que há indícios de que o Presidente e outros integrantes da cúpula do PMDB mantinham uma estrutura organizacional com o objetivo de obter vantagens indevidas em órgãos da administração pública.

A nota afirma que "garantias individuais estão sendo violentadas, diuturnamente" e registra que "facínoras roubam do país a verdade" e "bandidos constroem versões 'por ouvir dizer' a lhes assegurar a impunidade ou alcançar um perdão, mesmo que parcial, por seus inúmeros crimes".

A menção às "histórias narradas por criminosos" remete a acusações feitas pelo empresário Joesley Batista, da JBS, e pelo lobista Lúcio Funaro em seus acordos de delação premiada.

Além de abalar a imagem do Governo, este relatório policial será usado na formulação de uma nova denúncia do procurador-geral, Rodrigo Janot, contra Michel Temer. "Reputações são destroçadas em conversas embebidas em ações clandestinas", ressalta a nota. De acordo com o comunicado oficial do Palácio do Planalto, o "Estado Democrático de Direito" serve para preservar a integridade do cidadão e coibir "barbárie da punição sem provas". Nas últimas semanas, o Brasil vem assistindo exatamente o contrário. Vazamentos apresentam conclusões que transformam em crimes ações que foram respaldadas em lei: o sistema de contribuição empresarial a campanhas políticas era perfeitamente legal, fiscalizado e sob instrumentos de controle da Justiça Eleitoral.

Segundo interlocutores do presidente, a ideia é receber de entidades, como a Fiesp, e das centrais sindicais propostas para auxiliar a retomada do crescimento e do emprego.

Notícias relacionadas: