Homem morre após olho do furacão chegar à Flórida

Homem morre após olho do furacão chegar à Flórida

A informação divulgada pelo NHC a essa hora, 10h15 em Portugal, indicava que o 'olho' do Irma estava a 70 quilómetros de Caibarien, na província cubana de Villa Clara, e a 395 quilómetros de Miami.

O Irma dirige-se agora para a Florida, nos Estados Unidos, onde as autoridades recomendaram a retirada de sete milhões de habitantes, um terço da população do estado, devido à passagem do furacão.

O Centro Nacional de Furacões prevê que o núcleo do furacão Irma provavelmente vai atingir diretamente a altamente povoada região de Tampa e St.Petesburg, também na Flórida, depois de passar pelas ilhas. O olho do furacão tem cerca de 40 km de diâmetro e gera fortes ventos e chuvas em um raio de 600 km. Mesmo habituados aos furacões, os moradores da Flórida estavam assustados, ainda mais com os avisos terríveis vindos de todas as direções.

"O furacão Irma continua a ser uma ameaça que devastará os EUA, seja na Flórida ou em alguns dos Estados do sudeste", disse Long.

Cerca de 430 mil pessoas ficaram sem luz em razão do furacão.

A divisão de gestão de emergências do estado da Florida anunciou hoje que as autoridades tinham emitido uma combinação de ordens de saída obrigatória e voluntária a 6,3 milhões de residentes, mas o número subiu, entretanto, acrescentando mais 700 mil pessoas, à medida que o furacão girou para ocidente.

As primeiras chuvas e consequentes cortes de eletricidade associados à passagem do Irma foram sentidos neste sábado (9), em Miami, Flórida, nos Estados Unidos.

"A tempestade é tão enorme, é tão gigante que nem faz diferença se o centro passa ou não por Miami", dizia na manhã deste domingo Philip Levine, presidente da Câmara de Miami Beach.

Um dos mais poderosos furacões já registrados no oceano Atlântico, que arrasou ilhas do Caribe mais conhecidas pelas praias paradisíacas, transformando-as em zonas de emergência, contornou Porto Rico antes de rumar para o norte.

Em Cuba, a destruição ao longo da costa norte central foi semelhante à sofrida por outras ilhas do Caribe durante a semana. Katia tocou a terra na sexta-feira à noite no estado mexicano de Veracruz, mas foi rebaixado a tempestade tropical, um pequeno alívio para o país, que sofreu um terremoto de 8,2 graus na quinta-feira à noite, que deixou mais de 60 mortos.

No Atlântico, o furacão José quase atingiu a categoria 5, com ventos próximo a 250 quilômetros por hora.

Notícias relacionadas: