Irma segue para a Flórida depois de afetar Cuba

Complexo de parques da Disney fecha por 2 dias com chegada do furacão Irma

O centro do furacão Irma deixou a costa de Cuba e entrou no estreito da Flórida por volta das 19h no horário local (20h no horário de Brasília), segundo a Associated Press.

Irma, uma das tempestades mais fortes a atingir o Atlântico em um século, deve atingir a Florida nas primeiras horas de domingo (10) e causar estragos devido aos fortes ventos e inundações.

A cidade está há dias preparando-se para o possível impacto direto do - nas palavras do governador, Rick Scott, - "devastador" furacão Irma, que avança pelo norte de Cuba, onde tocou terra na noite de sexta-feira no arquipélago de Camagüey.

Segundo a divisão estadual da agência de situações de emergência dos EUA (FEMA) 5,6 milhões de pessoas, cerca de um quarto da população total da Florida, estão abrangida pelas ordens de evacuação, naquela que é já considerada a maior operação do género da História dos EUA.

Irma, que deixou um rastro de pelo menos 25 mortos e consideráveis danos materiais no Caribe, se encontra a 25 quilômetros ao sudeste de Key West e se desloca a uma velocidade de 13 km/h. A dimensão e a trajetória da tempestade levaram os responsáveis a ordenar evacuações em ambas as costas da Florida, incluindo alguns dos centros populacionais do estado.

Segundo o último boletim do Centro Nacional de Furacões (NHC) dos Estados Unidos, com sede em Miami, Irma poderia girar para o noroeste no final do dia de hoje. O furacão José, que atingiu hoje a categoria 4, segue logo atrás.

O Centro Nacional de Furacões norte-americano informou, entretanto, que o percurso previsto para o Irma se modificou.

Com estas chuvas chegaram também os primeiros cortes de luz, apesar de os enormes ventos do furacão, de 215 quilômetros por hora, com sequências mais fortes, quase não serem sentidos ainda em Miami. Espera-se que o Katia enfraqueça ainda mais ao longo do dia.

Notícias relacionadas: