IPCA sobe em 0,19% em agosto, diz IBGE

Indústria inicia o segundo semestre com alta de 0,8% em julho

A taxa acumulada em 12 meses foi de 1,73%.

Pesquisa da Reuters apontou que a expectativa de analistas era de alta de 0,31 por cento em agosto, acumulando em 12 meses avanço de 2,60 por cento.

O Brasil registou uma inflação de 1,62%, nos oito primeiros meses do ano, a menor taxa desde 1994, quando o país lançou o plano real, informou hoje o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Os alimentos foram os principais responsáveis pelo recuo da inflação em agostos. Seu impacto sobre o índice do mês foi assim de 0,27 ponto percentual. Foi a melhor performance para junho desde 2014 (+1,3%). No ano, a produção de bens de consumo subiu 1,4%. Todas as regiões pesquisadas tiveram queda em agosto: de -2,75% em Goiânia até -1,16% em Fortaleza.

Os fabricantes de itens têxteis ficaram bem acima dessa média em julho, com avanço de 5,6% sobre igual mês de 2016. Com exceção das regiões metropolitanas de Belém (-0,79%) e de Curitiba (-0,54%), as demais tiveram variações positivas entre 0,03% (Belo Horizonte) e 2,49% (Salvador).

O grupo de despesas comunicação teve uma deflação (queda de preços) de 0,56%. Por outro lado, os transportes e habitação foram, mais uma vez, os responsáveis por evitar uma queda maior do IPCA. Já o Pará foi de um de crescimento de 4,2% para alta de 3,7% entre os dois períodos.

Sendo o estado de Pernambuco o destaque dos crescimentos, com elevação de 1,9%.

No trimestre encerrado em julho deste ano, a série com ajuste sazonal apresentou acréscimo de 0,7%, o que mantém a trajetória de crescimento da produção industrial iniciada em abril. Já o grupo educação, com alta de 0,24%, refletiu a realidade dos preços praticados no segundo semestre do ano letivo nos cursos regulares (0,09%) e cursos diversos, como informática e idiomas (0,87%). Além disso, as contas de energia elétrica subiram 3,61%. Nesta, o aumento foi impulsionado pelos combustíveis (11,24%) com destaque para o preço da gasolina, que subiu 12,26%.

Notícias relacionadas: