Viagem do Papa Francisco à Colômbia terá transmissão de TV no Brasil

Papa Francisco na Colômbia para apelar à

Oficialmente, Francisco não teve qualquer interferência no diálogo que culminou no acordo de paz assinado em setembro de 2016, mas ambas as partes reconheceram a sua autoridade moral e papel-chave no processo.

Francisco chega a Bogotá para uma visita de cinco dias que o levará a Villavicencio para falar com vítimas do conflito, Medellín e Cartagena das Índias.

O presidente colombiano, Juan Manuel Santos, lembrou que as palavras do Papa "sempre nos deram alento para que insistíssemos na busca da paz" e que o país está pronto para o receber "de braços e coração abertos à sua mensagem de amor e reconciliação".

O Presidente colombiano, Juan Manuel Santos, considerou, segunda-feira, que a visita do papa Francisco ao seu país contribuirá para a reconciliação, num momento de mudança histórica na Colômbia devido ao acordo de paz com os guerrilheiros das FARC. "Sua santidade encontra uma população alegre, apesar de tanta adversidade, alegria que não teria outra explicação que a sua espiritualidade", finalizou Uribe na carta. E que "a paz é o que a Colômbia procura desde há muito tempo e trabalha para conseguir". Uma paz estável, duradoura, para nos vermos e tratarmo-nos como irmãos, nunca como inimigos. O país que viveu mais de meio século de conflito, que deixou 260 mil mortos, ficou dividido depois da assinatura dos acordos de paz, no final de quatro anos de negociações. "Também nos impele a sermos os primeiros a amar, para criar pontes, para criar fraternidade", sublinha.

O grupo de extrema-esquerda marxista tem hoje outro nome - Força Alternativa Revolucionária do Comum - porque se transformou em partido político.

Entretanto, o governo começou o diálogo de paz também com a última guerrilha ativa no país, o Exército de Libertação Nacional (ELN).

O governo da Colômbia e os representantes do ELN acordaram um cessar-fogo bilateral, com início marcado para 1 de outubro.

A chegada à área militar (CATAM) do Aeroporto de Bogotá está prevista para as 16h30 locais de hoje (22h30 em Lisboa).

A 20ª viagem internacional do pontificado inclui uma "grande vigília" de oração pela reconciliação nacional, marcada para a tarde de sexta-feira no Parque Las Malocas, em Villavicêncio, cerca de 120 km a sudeste de Bogotá, capital colombiana.

A visita conclui-se na cidade de Cartagena, onde o Papa vai abençoar a primeira pedra de casas para os sem-abrigo e da obra 'Talitha Qum' (contra o tráfico humano), antes do ângelus diante da igreja de São Pedro Claver, jesuíta espanhol que se distinguiu na defesa da dignidade dos escravos vindos de África.

Notícias relacionadas: