Winnie the Pooh banido da China

O famoso urso foi censurado na China

Winnie The Pooh, o urso amarelo criado pelo escritor britânico Alan Alexander Milne, está a ser censurado nas redes sociais na China.

O urso tem sido cada vez mais usado nas redes sociais chinesas para ridicularizar as parecenças de Xi Jinping com o desenho animado.

Nesta segunda-feira (17/07), ainda eram permitidos posts mostrando a imagem e os caracteres em chinês para Winnie the Pooh (Weini xiao xiong, ou Winnie, o pequeno urso) na rede social Weibo, equivalente chinesa do Twitter.

A polémica em torno de Winnie The Pooh começou em 2013, após um encontro entre Barack Obama, então Presidente norte-americano, e Xi Jinping.

Ursinho Pooh, o carismático personagem da Disney que se lamenta pela pouca inteligência, foi comparado por internautas ao presidente chinês, Xi Jinping, e acabou sendo banido das redes sociais do país. Os dois presidentes em mangas de camisa numa reunião em Rancho Mirage foram comparados a uma imagem do urso a caminhar com o seu amigo tigre.

Já em 2014, veio outra comparação.

"Existiam duas coisas proibidas [na China]: organização política e acção política".

O partido comunista da China é altamente sensível às representações cómicas do seu líder, especialmente quando Xi tenta consolidar o poder antes de um importante congresso, no fim deste ano, a Festa do Congresso Comunista (que só acontece a cada cinco anos). Mas, este ano foi adicionado uma terceira proibição à lista: "falar sobre o presidente", disse Qiao Mu, professor assistente de media na Universidade de Estudos Estrangeiros de Pequim.

As montagens comparando Xi Jinping ao ursinho rechonchudo não são novidade.

Um dos usuários da rede escreveu: "Pobre Pooh. Que mal fez esse adorável ursinho amante do mel?", questionou um usuário do Weibo.

Notícias relacionadas: