Federer vence torneio de Wimbledon e entra para a história

Federer atropela Cilic e conquista Wimbledon pela oitava vez

Em um ano de redenção no circuito, Roger Federer tentará a partir das 10 horas (de Brasília) deste domingo reaver aquela que considera sua maior conquista da carreira: o trono de Wimbledon. Segurar o troféu aqui, não perder um set, é mágico.

O tenista suíço, que era 17.º em janeiro, ultrapassou o compatriota Stan Wawrinka e o sérvio Novak Djokovic, estando agora atrás de Rafael Nadal e de Andy Murray, que manteve o primeiro lugar da hierarquia, mas agora com uma margem mais curta para a concorrência: menos de 300 pontos para o espanhol e 1.205 para Federer. Ele completa 36 anos daqui a menos de um mês, em 8 de agosto. Se você acredita, você consegue chegar. "Depois do último ano, não sabia se voltaria a estar aqui", comentou o suíço após eliminação para o canadense Milos Raonic nas semifinais de 2016. Com a típica calma suíça, Federer fechou a vitória logo no segundo ponto do título, com direito a ace. Estou incrivelmente excitado. Espero poder jogar mais uma boa partida. Se triunfar, Federer passará a ser o vencedor mais antigo da Challenge Cup, desde que o ténis se tornou profissional, em 1968. Em 2014, o croata bateu Roger Federer na semifinal do US Open e foi o grande vencedor da competição.

Logo após o arranque do segundo set, Marin Cilic recebeu a visita da equipa médica no court e não conseguiu esconder as lágrimas. O croata sentou em seu banco e chorou copiosamente, pedindo atendimento médico.

Chegados à terceira partida, que viria a ditar o fim de um torneio que celebra este ano sua 140.ª edição (no que à vertente de singulares diz respeito), seria a altura em que Marin Cilic tinha de experimentar tudo aquilo que poderia estar a guardar para os momentos mais críticos, começando por novas variações no seu serviço e estocadas mais fundas.

O fim para Cilic veio rapidamente quando Federer serviu em 5-4 para reconquistar o título. A chance desperdiçada foi decisiva, já que acabou perdendo a potência no saque. Os primeiros dois sets foram desequilibrados, com Federer a controlar quase todos os aspectos do jogo. Pelo caminho, um vice-campeonato, em 2008.

A final deste domingo teve equilíbrio apenas no começo. Depois disso, a preparação para jogar no relvado de Wimbledon teve só o torneio de Halle.

Notícias relacionadas: