Economistas projetam inflação menor para 2017 — Focus

Segundo a análise do Banco Central, divulgada nesta segunda-feira (17), o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) - que mede a inflação oficial no País - teve sua previsão revista para baixo.

O Boletim Focus, do Banco Central, apontou que os economistas do mercado financeiro reduziram novamente as estimativas relativas à inflação para este ano e para 2018 também.

As projeções permanecem abaixo do centro da meta de inflação, que é 4,5%.

Já estimativa para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país, ficou estável em 0,34%, em 2017. Para o próximo ano, a projeção de crescimento da economia passou de 2,40% para 2,30%. O PIB crescerá pouco neste ano. Com isso, a taxa passaria dos atuais 10,25% para 9,25% ao ano, voltando a ter um dígito único pela primeira vez desde outubro de 2013. Na edição de hoje, a mediana das estimativas dos analistas de mercado para a Selic ao fim de 2017 caiu de 8,25% para 8%, na segunda semana consecutiva de queda. Para o fim de 2018, a aposta se manteve em 8%.

A taxa básica de juros é o principal instrumento do BC para tentar conter pressões inflacionárias. Com isso, estimaram que os juros ficarão estáveis no ano que vem.

Diante desse cenário, os economistas consultados pela pesquisa também projetam que o Comitê de Política Monetária (Copom) deve ser mais agressivo na reunião da próxima semana do que se esperava antes e reduzir a Selic em 1 ponto percentual, ante a expectativa de corte 0,75 ponto percentual. Pelo Focus, a economia crescerá apenas 0,34% em 2017.

A previsão do relatório para a entrada de investimentos estrangeiros diretos no Brasil, em 2017, permaneceu em US$ 75 bilhões.

Notícias relacionadas: