Dois helicópteros reforçam combate a incêndio em Alijó

Incêndio em Alijó: situação é “muito preocupante”

Segundo a Protecção Civil, para o combate a este fogo foram ainda accionados quatro meios aéreos, dois helicópteros e dois aviões ligeiros.

O fogo, em mato e pinhal, deflagrou à 1h55 deste domingo e tinha, pelas 4h30, duas frentes activas, segundo o CDOS de Vila Real.

Não foi evacuada nenhuma localidade "por inteiro", disse à agência Lusa o comandante dos Bombeiros de Alijó, José Carlos Rebelo, esta tarde.

Atuamente encontra-se a lavrar um grave incêndio no concelho de Alijó e o presidente da Câmara, Carlos Magalhães, indica que o SIRESP continua a apresentar falhas, não funcionando corretamente.

No entanto, voltou a estar ativo e mantém agora três frentes ativas. "Às tantas, só recorrendo aos telemóveis é que se consegue comunicar", criticou Carlos Magalhães.

Contudo, Patrícia Gaspar disse à agência Lusa que "as comunicações durante estas falhas foram asseguradas através da Rede Operacional dos Bombeiros (ROB)", um procedimento previsto.

"Quando se estabelece um plano de comunicações num teatro de operações, nunca é feito com exclusividade à rede SIRESP", integrando-se também a ROB, esclareceu.

A aeronave ficou caída junto a uma das margens na barragem.

Um helicóptero caiu, este domingo, durante uma manobra de abastecimento na barragem de Vila Chã.

O aparelho Ecureueil AS350B3 estava a despistar uma anomalia no funcionamento do balde com que recolhe a água para combater os incêndios quando teve um problema.

O Comando Territorial de Vila Real da GNR confirma à SÁBADO que o piloto do helicóptero "está bem" e que "não há registo de feridos". Em comunicado, o Conselho de Administração da empresa informa que "já decidiu instaurar um inquérito às circunstâncias do acidente e garante a substituição do aparelho ora acidentado no dispositivo em alerta", no combate aos incêndios.

Notícias relacionadas: