Chapecoense vence São Paulo, respira no Brasileirão e afunda rival na crise

Limite de cinco estrangeiros deixa uruguaio de fora da partida

Por isso, uma das providências do treinador é conversar com os atletas - alguns terão atenção individual - antes da partida deste domingo, às 16 horas, contra a Chapecoense, na Arena Condá, em Chapecó (SC), pela 14.ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Os números mantém o São Paulo com apenas 12 pontos, ainda a três da Ponte Preta, que perdeu para o Grêmio fora de casa e segue como primeiro time fora do rebaixamento, com 15.

Dorival Jr falou em sua apresentação como novo técnico do São Paulo que questões relacionadas às chegadas e partidas de jogadores do clube deveriam acabar. Esta era a segunda partida em sequência do São Paulo contra um rival direto na luta contra o rebaixamento -na jornada anterior o time empatou por 2 a 2 com o lanterna Atlético (GO).

Os dois times voltam a campo na próxima quarta-feira, pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro. Porém, o time ainda sentia dificuldade para ser mais objetivo e com o rendimento abaixo do esperado de Gómez e Wellington Nem.

A recepção que a torcida da Chapecoense fez ao time no aeroporto Serafim Enoss Bertaso, na quinta-feira à noite, após a derrota por 3 a 0 para o Sport, foi um dos fatores que estimulou o grupo para vencer o São Paulo, segundo técnico Vinícius Eutrópio, e assim quebrar uma série de sete jogos sem vencer, sendo seis pelo Brasileirão. Na ocasião, no primeiro tempo, o meia peruano cobrou uma falta, Lucas Pratto recebeu dentro da área e tocou para Gómez, que chutou. Mas, na chance mais clara, o centroavante demorou para definir um ótimo passe de Cueva e acabou sendo interceptado por Jandrei. O desempenho ruim resultou na demissão do técnico Vagner Mancini.

E foi em uma cobrança de falta, já no segundo tempo, que os mandantes abriram o placar. Aos 18, Seijas bateu falta de longe e acertou a trave de Renan Ribeiro. Dorival tentou mudar, colocando Marcinho, Lucas Fernandes e Denílson nos lugares de Wellington Nem, Cueva e Petros. A tendência é que Fabrício Bruno e Diego Renan substituam o zagueiro e o lateral esquerdo, enquanto Lourency e Túlio de Melo devem compor a dupla de ataque.

ÁRBITRO - Wagner do Nascimento Magalhães (RJ).

A tarde de ontem foi de um misto de emoções para os mais de dez mil torcedores presentes na Arena Condá.

Notícias relacionadas: