Mercado financeiro prevê menos inflação e alta menor do PIB neste ano

Banco Central do Brasil

No caso de 2018, a projeção dos economistas do mercado financeiro para o câmbio no fim do ano foi de R$ 3,40 para R$ 3,45. A notícia foi dada por meio do Boletim Focus, relatório divulgado semanalmente pelo Banco Central que apresenta a visão de vários analistas de mercado sobre os indicadores da economia brasileira. A meta da inflação não é atingida no Brasil desde 2009. A taxa Selic é uma das ferramentas da equipe econômica do governo para influenciar o crescimento da economia e o comportamento da inflação.

As notícias não ficaram só em torno do IPCA. A estimativa para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país, desta vez, caiu de 0,39% para 0,34%. A expectativa era de 0,39%, e agora caiu para 0,34%. O Relatório de Mercado Focus trouxe nesta segunda-feira, 10, que a mediana das previsões para a Selic este ano passou de 8,50% para 8,25% ao ano. A projeção para o próximo ano é um crescimento de 2%, número que até um mês atrás era de 2,30%. Atualmente, a taxa está em 10,25%.

As instituições financeiras esperam por uma taxa básica de juros, a Selic, menor neste ano e em 2018. Se o Copom diminuir os juros básicos, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle sobre a inflação.

Depois de 12 semanas sem alterações, o mercado reduziu sua projeção para a taxa básica de juros no fim de 2017. O câmbio médio de 2017 permaneceu em R$ 3,26, ante R$ 3,22 de um mês antes.

A aposta para o saldo da balança comercial no ano corrente ficou em US$ 59,50 bilhões.

Notícias relacionadas: