Polícia Federal fará uma varredura nos telefones do STF

PF vai fazer varredura no gabinete da presidente do Supremo Carmen Lúcia

A Polícia Federal vai realizar, neste fim de semana, varreduras em telefones e gabinetes da presidente do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia, dos ministros que assim desejarem e de todo o terceiro andar do prédio. No entanto, desta vez, Cármen Lúcia fez o pedido ao diretor-geral da PF, Leandro Daiello, após a divulgação de supostos grampos envolvendo o ministro Edson Fachin, relator dos processos da Operação Lava-Jato no STF, inclusive um em que o presidente é investigado por corrupção passiva, obstrução de justiça e organização criminosa.

O presidente Michel Temer já havia telefonado para a ministra desmentindo que tenha pedido ou autorizado tal grampo. Por sua vez, Cármen Lúcia divulgou nota afirmando que era "inadmissível" uma investigação ilegal da vida do relator da Lava Jato no Supremo pelo governo, caso se confirmasse a informação da revista Veja. Mas houve quem considerasse o contrário, que poderia ser mais dura ainda, já que havia todos os indícios de que o telefone de Fachin fora, sim, grampeado.

Não só este suposto grampo teria estimulado a ministra a pedir pela varredura: um grampo encontrado na Procuradoria-Geral da República e uma busca por algo contra Gilmar Mendes, ministro do STF, em meio às investigações que rodeiam Aécio Neves (PSDB-MG) também teriam a motivado.

Notícias relacionadas: