Aprovação do governo de Michel Temer cai para 7% — Datafolha

Grande maioria dos brasileiros consideram o governo Temer “ruim e péssimo”

Pesquisa do Instituto Datafolha, divulgada neste sábado (24/6), mostra que a avaliação do governo de Michel Temer (PMDB/SP) piorou. É a menor taxa já registrada por um presidente no país em 28 anos. Só José Sarney ultrapassou esse índice tão negativo - o dele chegou aos 5% em 1989.

Desde a revelação do conteúdo das delações premiadas dos executivos da JBS, que colocaram Temer no centro de um esquema de corrupção nacional, a impopularidade do presidente registrou um aumento.

Em abril estes índices estavam em 61% e 28%. Os outros 4% não souberam responder. A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos e o intervalo de confiança é de 95%.

A pesquisa foi realizada entre quarta, 21, e sexta, 23, e ouviu 2.771 entrevistados em 194 cidades.

A petista tinha 13% de aprovação e 63% de reprovação. Ele somava 68% de ruim e péssimo, em setembro de 1992, ao sofrer impeachment.

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, o cenário fica mais desfavorável para o presidente Temer entre as mulheres, os jovens e os mais pobres, em comparação com a média da população.

No final de abril, uma pesquisa da consultoria Ipsos, mostrou que 75% dos entrevistados classificaram o governo como ruim ou péssimo. Em agosto de 2015, a reprovação de Dilma foi a 71%. Entre os entrevistados, a grande maioria afirmou que gostaria de ver Temer deixando a presidência, independente de ser por sua decisão própria ou por impeachment no Congresso.

Temer só tem uma "trégua" entre aqueles que ganham mais de 10 salários mínimos.

A análise por renda da avaliação de Temer coincide com a de sua agenda econômica, da qual os mais ricos são menos críticos que a média da população, em especial no que se refere à proposta de reforma da Previdência.

Notícias relacionadas: