Porto. Proibido lançar balões de São João

Lançamento de balões de São João estão proíbidos

A tradição de lançar balões de São João este ano não pode ser cumprida.

A portaria n.º 195/2017 hoje publicada revela que a coima pode ir dos 140 euros aos cinco mil euros no caso de pessoas singular, enquanto que no caso de pessoa colectiva poderá ir dos 800 euros aos 60 mil euros.

O período crítico do Sistema de Defesa da Floresta contra Incêndios foi antecipado para esta quinta-feira, por causa das condições meteorológicas adversas de temperatura que determinaram o aumento do nível de perigosidade para alerta vermelho e laranja no território continental, uma proibição o que significa que está proibido o lançamento dos tradicionais balões de São João.

A PSP do Porto já anunciou que irá proceder à fiscalização durante os festejos, embora existam autarquias do Grande Porto que querem proibições permanentes no futuro.

Trata-se de "um evento pirotécnico de fogo-de-artifício em que não vão ser lançados foguetes", acrescentou, reiterando que o que a PSP vai fazer é "tentar cumprir o que está legislado a partir de hoje (quinta-feira)".

Deste modo, e de acordo com a portaria, durante o período crítico não é permitido o lançamento de balões com mecha acesa e de quaisquer tipos de foguetes.

O valor médio do prejuízo para os comerciantes do Porto, Vila Nova de Gaia e Gondomar, pela ausência da venda de balões, está calculada em "240 mil euros" se tiverem sido vendidos 80 mil balões a três euros para o São João de 2017, explicou Nuno Camilo, presidente da Associação de Comerciantes do Porto.

Também a Polícia de Segurança Pública de Braga já tinha informado que, este ano, vai ser proibido o lançamento de balões de ar quente durante as Festas de S. João, face à antecipação do início do período crítico de incêndios.

Notícias relacionadas: