Itália condena neofascistas à prisão perpétua por atentado

Terrorista italiano é preso enquanto rezava em Portugal

Lisboa, 21 Jun 2017 (AFP) - Um dos autores do atentado que deixou oito mortos e 102 feridos em Brescia, no norte da Itália, em 1974, foi preso nesta quarta-feira em Fátima, em Portugal, segundo a polícia judicial. Pelo que apurou o "CM", Maurizio Tramonte viajou sozinho para Fátima, no carro da mulher, e estava hospedado desde segunda-feira num hotel situado nas imediações do Santuário.

De acordo com a imprensa italiana, Tramonte já se tinha ausentado várias vezes de Itália durante a várias fases processuais, sem nunca haver problemas.

Foi condenado por ativar um engenho explosivo na via pública, na cidade italiana de Brescia, durante um comício sindical em 1974. Esse evento, que ocorreu durante um protesto antifascista, ficou conhecido como o Massacre da Piazza della Loggia. Estava a ser monitorizado pelo ROS, a unidade de elite dos Carabinieri. Um dia depois foi detido em Fátima, cumprindo-se um mandado de detenção europeu.

Tramonte, de 64 anos, havia sido condenado em julho de 2015 à pena máxima no Tribunal de Apelação de Milão, junto a Carlo Maggi, ex-militante da Ordem Nova, movimento de ultradireita. O homem estava a ser procurado pelas autoridades italianas para cumprimento de pena de prisão perpétua.

O detido vai ser presente às autoridades judiciárias no Tribunal da Relação de Évora para interrogatório judicial.

O que achou desta notícia?

Notícias relacionadas: