Irã diz que mísseis do país atingiram alvos do EI na Síria

Irã lançou mísseis contra bases terroristas na Síria

Em comunicado, os Guardiães da Revolução, a tropa de elite do regime iraniano, explicam que os mísseis foram lançados do oeste do Irão, em resposta aos crimes contra o povo iraniano levados a cabo a 7 de junho, no parlamento e no mausoléu do aiatola Khomeini, fundador da república do Irão.

O ataque de represália iraniano teve como alvo "a base de comando (.) dos terroristas em Deir Ezzor, no leste da Síria", acrescentou. O ataque de mísseis marca uma escalada no envolvimento iraniano na Síria e, se os mísseis atingiram seus alvos, a 600 quilômetros de distância, isso indica essencialmente que o Irã tem outras opções para lidar com Israel, além de usar o Hezbollah.

A televisão iraniana mostrou imagens que identificou como sendo as dos disparos dos mísseis.

Após o duplo atentado em Teerã há 10 dias, os Guardiães haviam prometido que "vingariam o sangue inocente derramado".

"Em caso de repetição destes ataques satânicos contra o povo iraniano, eles deverão esperar a ira revolucionária e as chamas da vingança", advertiram.

As autoridades iranianas acusaram a Arábia Saudita e os Estados Unidos de apoiar os grupos extremistas atuando contra o Irã.

O Irão condenou na sexta-feira a votação, afirmando que ela é "totalmente ilegal e ilegítima". Washington impôs nos últimos meses várias rodadas de sanções contra entidades iranianas relacionadas com o programa de mísseis balísticos do país.

O porta-voz também rejeitou as acusações "injustificáveis" sobre as forças militares iranianas e seu programa de mísseis que afirmou serem "totalmente legítimos", pois não violam a resolução 2.231 do Conselho de Segurança da ONU.

Notícias relacionadas: