Parada LGBT terá Anitta e Daniela Mercury

Anitta esclarece que não fará show na Parada Gay

Com uma legião de fãs LGBTQ em todo o Brasil, a cantora Anitta está confirmada para participar da 21ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo - a famosa parada gay.

O tema será: "Independente de nossas crenças, nenhuma religião é lei". As cantoras farão parte do trio elétrico do Uber, um dos 19 carros que farão a festa do público.

A presidente da Associação da Parada do Orgulho de Gays, Lésbicas, Bissexuais e Transgêneros de São Paulo (APOGLBT-SP), Cláudia Regina, afirmou que a discussão em torno do Estado laico se faz necessária pela constância com a qual a população LGBT se sente atacada pelo que chama de "fundamentalistas religiosos". "Todos vocês têm direito de voltar para casa sem enfrentar a homofobia, sem enfrentar desrespeito e nem agressão". Entretanto, no dia a dia, calculam quando e onde podem demonstrar afeto para sua parceira ou parceiro com medo de serem agredidas ou hostilizadas.

A apresentadora Fernanda Lima aceitou o convite e será a madrinha do evento deste ano, de acordo com a coluna de Mônica Bergamo, no jornal Folha de S. Paulo. "Vamos ser livres, sejam o que quiserem, desde que estejam dentro da lei", disse, entusiasmada.

A caminhada começará às 12h, na Avenida Paulista, região central da capital, descerá a Rua da Consolação e terminará com shows no Vale do Anhangabaú.

Segundo os organizadores, 3 milhões de pessoas participam do evento. Até às 15h, a Polícia Militar não havia divulgado o número de participantes. "Eu já vim umas dez vezes: adoro essa bagunça bonita, essa diversidade", disse a tia dela, a autônoma Katia Picolo, de 51.

Amigo de Luisa, o professor Roberto Marques veio passar o feriado em São Paulo e não sabia da parada, mas a filha adolescente o convenceu a ficar para a festa. "É importante a visibilidade", disse. "É um tema que se dirige a uma bancada religiosa que é reacionária, por isso a importância de se falar disso".

Também pela primeira vez na Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, o casal de uruguaios Ruben Lopes, 55, e Mario Bonilha, 59, preparou especialmente uma camiseta com a fotos dos dois em formato de coração em homenagem aos 25 anos de casados.

Uma pesquisa feita na edição de 2016 pelo coletivo Vote LGBT, em parceria com pesquisadores da USP, Unifesp e Cebrap, revelou que quase metade do público do evento - que ocorre três dias após a Marcha para Jesus - é formada por cristãos: católicos, evangélicos e kardecistas somam 45,7% da Parada.

"A gente precisou falar sobre isso ao longo das temporadas, discutindo mentalidades e comportamentos, reclamando liberdade e respeito".

Notícias relacionadas: