Putin oferece asilo a ex-director do FBI

Presidente da Rússia. Vladimir Putin

Vladimir Putin assegura que a Rússia não vê os estados Unidos como um inimigo e mantém que até ao momento não surgiu qualquer prova da ingerência de Moscovo nas presidenciais norte americanas.

Putin comparou a situação de Comey à do especialista informático Edward Snowden, a quem a Rússia concedeu asilo em 2013, depois de este ter revelado sistemas de vigilância dos serviços secretos dos Estados Unidos.

"O que diferencia então Comey de Snowden?", questionou.

"Por isso, a Rússia está disposta a dar-lhe asilo político caso venha a ser perseguido".

Putin fez estas afirmações durante uma entrevista na televisão russa em que respondeu a perguntas feitas por cidadãos e voltou a rejeitar as acusações da intervenção russa no processo eleitoral dos EUA, assegurando que Comey, no seu recente depoimento ao no Senado, "não apresentou provas" dessa alegada ingerência. "E ele deve ser informado disto", atirou, de forma sarcástica.

"Ele falou que nós influenciámos os americanos para que votassem de uma maneira determinada", disse Putin, acrescentando que "isso acontece em todo o mundo com a propaganda que os EUA fazem".

Notícias relacionadas: