Julgamento de Bill Cosby é anulado nos Estados Unidos

AFP  Getty Images                       Caso Cosby seja condenado ele pode enfrentar uma pena de ao menos 10 anos de prisão e uma multa de US$ 25 mil

Steele não lamentou sua iniciativa. As outras acusações foram feitas fora do prazo para que o astro pudesse ser processado.

O advogado principal de Cosby, Brian McMonagle, interviu para pedir que o juiz anule o processo, considerando que as deliberações já duravam tempo demais.

Mundialmente famoso pela interpretação de um simpático ginecologista, pai de quatro filhos, no programa de TV "The Cosby Show" (1984-1992), Cosby, de 79 anos, pode ser condenado a até 30 anos de prisão.

A Justiça americana exige a unanimidade entre o júri para que se possa pronunciar um veredito.

Os jurados já haviam indicado, na última quinta-feira, que se encontravam em um impasse. Mais de 20 horas de debates suplementares não permitiram que eles chegassem a um veredito unânime.

A espera do veredito elevou a tensão hoje em frente ao tribunal em Norristown, nos arredores da Filadélfia.

"Você é uma vergonha!", gritou uma mulher para Cosby, quando ele entrava no prédio.

"Cala a boca!", responderam os simpatizantes do ator, que o esperavam perto da entrada para apoiá-lo.

Nos últimos anos, dezenas de mulheres vieram a público dizer terem sido vítimas de Bill Cosby.

Horas depois, no início da tarde, o júri também pediu ao juiz para ouvir novamente o depoimento de Gianna Constand, a mãe de Andrea, relacionado com a sua primeira ligação telefônica com Bill Cosby, assim como um trecho do depoimento da própria Andrea Constand.

O ator reconheceu que teve contato com a jovem na noite de janeiro de 2004, mas assinalou que se tratou de uma relação consensual. Também admitiu que deu a Andrea um sedativo, mas alegou que queria apenas que ela relaxasse, uma vez que havia dito que estava estressada.

No entanto, a vítima de 44 anos apresentou incoerências em diversas declarações, destacadas com insistência pela defesa.

Para Victoria Valentino, 74, ex-modelo da revista "Playboy" que afirma ter sido violentada por Cosby em 1969, a acusação terá um desempenho melhor no próximo processo.

Notícias relacionadas: