Incêndio em Pedrógão Grande ameaça habitações e corta trânsito no IC8

Incêndio na região Centro de Portugal faz 19 mortos

Dezasseis das pessoas que morreram encontravam-se dentro de viaturas que foram apanhadas pelas chamas.

Há "localidades afetadas", mas ainda não foi possível determinar os danos causados pelo incêndio "porque não se consegue penetrar na floresta nem nos caminhos para as aldeias", acrescentou Jorge Gomes.

Um incêndio em Pedrógão Grande, distrito de Leiria, é aquele que mais atenção merece das autoridades este sábado.

O incêndio deflagrou pelas 14:00 nos Escalos Fundeiros, no norte do distrito, e obrigou ao corte do Itinerário Complementar 8, bastante a sul daquela ignição, isolou aldeias e levou mesmo alguns habitantes a abandonar as suas casas por precaução.

Segundo Jorge Gomes, o fogo continua esta madrugada com quatro frentes ativas, duas delas muito intensas.

Segundo a SIC Notícias, o Presidente da República está a caminho de Pedrógão Grande para se inteirar da situação.

As altas temperaturas e o vento dificultam os trabalhos para a extinção do incêndio, destacou o presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa, antes de precisar que "não há falta nem de capacidade, nem de resposta" ante desafios destas características.

Por outro lado, o chefe de Estado fez questão de deixar uma palavra de "gratidão e conforto" a todos os que estão envolvidos no combate ao incêndio, dizendo referir-se a bombeiros, Proteção Civil, GNR ou Exército.

Os bombeiros têm sentido muitas dificuldades no combate às chamas, neste que foi o dia mais quente do ano.

Em S. Paulo, o Estadão e a Folha também acompanharam a situação, com fotografias e a contabilização do número de vítimas que ia sendo apurado. Às 19h30, em Pedrógão Grande, era praticamente de noite, tal o fumo que pairava pelo ar.

Notícias relacionadas: