Helmut Kohl, ex-chanceler da Alemanha, morre aos 87 anos

Helmut Kohl

Morreu nesta sexta-feira, aos 87 anos, o ex-chanceler alemão Helmut Kohl.

A informação foi divulgada por seu partido, a União Democrata-Cristã (CDU, na sigla em alemão). "Estamos de luto pelo ex-chanceler Helmut Kohl". Helmut Kohl, cuja infância foi marcada pelos horrores da II Guerra Mundial, soube aproveitar a grande ocasião que se deparava ao seu país e avançou sem hesitar para a reunificação alemã, depois de a revolução democrática no leste ter derrubado a ditadura comunista.

"Kohl foi uma sorte para nós alemães", afirmou Merkel em Roma.

Mas, embora admirado na Alemanha e no mundo inteiro, até na Rússia, pela sua política de proximidade e diálogo com Moscou mesmo durante a guerra fria, o que tornou possivel a reunificação alemã, Kohl ficou amargurado depois de deixar o governo.

"Helmut era um rochedo, em simultâneo estável e forte", sublinhou em comunicado o 41º presidente dos Estados Unidos, que estava no poder (1989-1993) quando ocorreu a reunificação alemã.

Gerhard Schroeder, sucessor de Kohl como chanceler, o descreveu como "grande patriota e europeu".

Em Bruxelas, as bandeiras europeias foram colocadas a meio mastro em homenagem.

"A morte de Helmut entristece-me profundamente. Meu mentor, meu amigo, o sentido verdadeiro da Europa, ele fará muita falta".

Helmut Kohl liderou a Alemanha entre 1982 e 1998 e foi um dos responsáveis pela reunificação da Alemanha, pela queda do Muro de Berlim, sendo também visto como o homem que permitiu a ascensão política de Angela Merkel. Ele também influenciou a adoção do euro pela Alemanha.

A saúde de Kohl estava debilitada desde que ele sofreu uma queda em 2008.

Notícias relacionadas: