Resgate de reféns em pizzaria termina com 17 mortos — Pânico na Somália

Atentado com carro-bomba deixa quatro mortos na capital da Somália

"Os combatentes ainda estão dentro do Pizza House e estão a sequestrar 20 pessoas". "Ainda não sabemos quantas delas estão mortas ou vivas", disse o major Ibrahim Hussein.

Mogadíscio é alvo frequente de ataques realizados pelo grupo extremista al Shabaab, filiado à rede terrorista Al Qaeda.

No último ano, o Al-Shabab foi o grupo islamita mais mortífero em África, com mais de 4.200 pessoas assassinadas, segundo o levantamento realizado pelo Centro de Estudos Estratégicos de África (ACSS, na sigla em inglês). O ataque foi reivindicado pelo grupo Al-Shabab.

Com um novo governo estabelecido, está a subir a pressão sobre a Somália para que os seus militares assumam a responsabilidade total pela segurança do país. A organização islâmica prometeu acabar com o frágil governo somali, apoiado pela comunidade internacional e pelos 22 mil homens da força da União Africana na Somália (Amisom).

No texto, reconhece-se que "este é um momento crítico para a Somália".

Acredita-se que o número de mortos aumente nas próximas horas, disse à Agencia Efe o oficial de polícia Abshir Isak, que confirmou que a operação de resgate de reféns continua. Os cinco atacantes foram mortos e os soldados conseguiram tomar controlo do edifício esta manhã, indicou o capitão da polícia Mohamed Hussein.

O que achou desta notícia?

Notícias relacionadas: