Fisco português investiga 43 jogadores e 7 clubes por evasão fiscal

Fisco português investiga jogadores e clubes

A investigação à evasão fiscal no futebol português levada a cabo pela Autoridade Tributária, em coordenação com as autoridades fiscais europeias, está a passar a pente fino os rendimentos declarados, transferências e outros acordos paralelos dos jogadores.

O combate à evasão fiscal no futebol ganhou dimensão depois das revelações do Football Leaks, que desmontaram um esquema global para contornar o pagamento de impostos.

Esta quarta-feira, o jornal Público noticiou que a Autoridade Tributária está a investigar eventuais fugas ao fisco de clubes e jogadores, numa ação à escala europeia.

O Ministério das Finanças não comenta, porém, quaisquer casos concretos ou o estado de desenvolvimento das investigações em curso.

Segundo fonte ligada ao processo, citada pelo jornal português, "as investigações desenrolam-se no quadro de uma iniciativa multilateral que envolve várias administrações tributárias da Europa, nas quais decorrerão esforços semelhantes, e envolve cooperação administrativa em termos de troca de informações com mais de uma dezena de administrações fiscais europeias e não europeias".

Esta é uma notícia que surge um dia após as finanças espanholas terem acusado Cristiano Ronaldo de alegada fraude fiscal.

Quando assinou pelo Real Madrid, em 2008, vindo do Manchester United, Ronaldo mudou a sua residência fiscal para Espanha, a partir de 1 de Janeiro de 2010.

Até o momento não são conhecidas as identidades dos jogadores, nem dos clubes que estão sob investigação. Se for considerado culpado, o internacional português incorre numa multa mínima de 28 milhões e numa pena de sete anos de prisão.

Notícias relacionadas: