Joesley Batista volta ao Brasil e presta esclarecimentos à PGR

Joesley Batista volta ao Brasil e presta esclarecimentos à PGR

Ele se ausentou do Brasil nos últimos dias para proteger a integridade de sua família, que sofreu reiteradas ameaças desde que ele se dispôs a colaborar com o Ministério Público.

Os dois foram questionados sobre recursos repassados para as campanhas de Lula e Dilma Rousseff, que seriam provenientes do BNDES.

O empresário afirmou, também por meio de sua assessoria, que participou de reuniões em Brasília na última segunda-feira (12), mas não especificou o que foi tratado nessas ocasiões.

O informe diz que Joesley estava na China, tendo viajado com autorização da Justiça brasileira, e que não revelou seu paradeiro por razões de segurança.

O texto critica declarações de Temer: "Joesley Batista estava na China - e não passeando na Quinta Avenida, em Nova York, ao contrário do que chegou a ser noticiado e caluniosamente dito até pelo presidente da República".

Essa investigação, porém, não tem relação com a delação premiada que Joesley fechou com a PGR. Em delação premiada, Joesley acusou Temer de receber propina da JBS.

O documento diz que o empresário "está à disposição do Ministério Público e da Justiça brasileiros".

A divulgação da delação de Joesley e de outros executivos da J&F, empresa que controla a JBS, lançou o governo em sua maior crise, paralisou a discussão sobre as reformas e gerou questionamentos sobre a capacidade de sobrevivência do Executivo.

Em nota, sua assessoria disse que "Joesley é cidadão brasileiro, mora no Brasil, paga impostos no Brasil e cria seus filhos no Brasil". O Supremo Tribunal Federal (STF) instaurou inquérito contra Temer por suposto crime de corrupção, organização criminosa e obstrução à Justiça.

Ele voltou para depor à Polícia Federal e resolver assuntos pessoais.

Joesley Batista estava na China - e não passeando na Quinta Avenida, em Nova York, ao contrário do que chegou a ser noticiado e caluniosamente dito até pelo presidente da República.

O dono da JBS, Joesley Batista, está no Brasil desde domingo (11) e disse que havia saído do país para "proteger a integridade da sua família". O proprietário do grupo J&F relatou ter participado de pelo menos 20 encontros com o peemedebista.

Notícias relacionadas: