Reino Unido sob ameaça iminente de novo atentado

Quinto detido ligado ao atentado de Manchester

Theresa May disse que a elevação do grau de alerta corresponde à possibilidade de mais um atentado terrorista. Apesar de Estado Islâmico ter reivindicado a responsabilidade, a polícia não encontrou provas dessa ligação.

A primeira-ministra britânica, Theresa May, anunciou que os militares passarão a patrulhar locais-chave no Reino Unido, substituindo polícias, permitindo aumentar significativamente o número de agentes armados em patrulha.

O autor, que também morreu, era um britânico de origem líbia de 22 anos, nascido em Manchester.

Abedi, nascido na área de Manchester, residia no apartamento de Fallowfield, no sul de Manchester, onde horas antes a polícia procedeu a uma explosão controlada.

Essas inspeções fazem parte da investigação sobre a suposta rede de apoio por trás do terrorista suicida Salman Abedi, que detonou um explosivo de fabricação caseira na Manchester Arena na saída de um show da cantora Ariana Grande e deixou 22 mortos e 64 feridos.

Quase 12 anos depois, o país voltaria a ser atacado por jihadistas, desta vez por um homem supostamente ligado ao Estado Islâmico (EI).

Notícias relacionadas: